Contratado ou reprovado, todo candidato quer ter um retorno da empresa

Interview-FeedbackParticipar de um processo seletivo para uma vaga de emprego pode ser algo muito desgastante emocionalmente.
 
Muitas vezes, o processo tem várias etapas e, é claro, é normal que os candidatos esperem por uma resposta da empresa em cada uma dessas etapas.
 
Quem algum dia na vida já procurou emprego sabe que, pior do que ouvir um “não”, é não receber nenhum retorno da empresa.

O candidato se sente desrespeitado, desmotivado, injustiçado, enfim, um turbilhão de sentimentos ruins passa em sua cabeça.

Como consequência, a credibilidade da empresa fica profundamente abalada.

Por essa razão, os profissionais que atuam na área de recrutamento e seleção se desdobram para sempre dar algum retorno para os candidatos, mesmo que este retorno seja negativo.

Porém, quando esses profissionais se deparam com um grande volume de candidatos, fica muito difícil conseguir dar um retorno a todos eles, a não ser que se tenha uma boa ferramenta que os ajude.

Com a ferramenta correta auxiliando o trabalho, pode-se sempre dar um retorno rápido a todos os candidatos, seja positivo ou negativo e, mesmo que o retorno seja negativo, o candidato compreende a situação e se sente valorizado por ter recebido uma rápida resposta e, assim, pode seguir em frente na busca de uma vaga dentro do seu perfil.

É esse impacto positivo que todos os profissionais de RH querem provocar em todos os candidatos que participam de processos de recrutamento e seleção.

É uma demonstração de respeito por quem preparou o currículo com carinho, enviou fisicamente ou se cadastrou no site, foi até o local ou site indicado e participou de testes, fez entrevistas, etc.

O retorno vem em credibilidade tanto dos profissionais quanto das empresas que realizaram o processo seletivo, independentemente do candidato ter sido escolhido ou não.

Augusto Calado Costa é ex-CEO da Manpower (www.manpower.com.br) e entusiasta de RH e Startup Companies.