Por que os colaboradores não fazem tudo o que se espera deles?

Vamos partir do princípio de que todo profissional deseja ser protagonista de uma excelente realização no trabalho que desenvolve. Afinal, ninguém sai de casa com o firme propósito de ter um dia sem graça, desmotivador e estressante, para chegar de volta feliz porque não realizou nada de agradável no seu trabalho.
 
Se considerarmos essa premissa como válida, seria de se esperar que cada um de nós conseguíssemos chegar ao final de cada dia de trabalho com uma sensação alegre de ter exercido o melhor do nosso potencial, tendo contribuído solidamente para o êxito das nossas equipes e de nossas organizações.

Porque será que as coisas não funcionam dessa forma ideal? Fácil responder dizendo que a perfeição ainda não pertence ao rol das construções humanas, como processos e sistemas; Da mesma maneira que somos seres complexos e multifacetados, de tal forma que, muitas vezes, nem mesmo nós sabemos decifrar nossos objetivos e vontades.

Se seguirmos a discussão nessa linha, não chegaremos muito longe, pois sempre teremos como justificar o que ainda não é perfeito. Ao invés disso, vamos tentar sistematizar um pouco o pensamento sobre as organizações e buscar um pouco de luz na experiência.

Ao longo de mais de 20 anos de profissão, Ferdinand Fournies – renomado consultor internacional – entrevistou cerca de 25.000 gerentes, buscando entender porque os resultados entregues nem sempre correspondem ao que foi solicitado.

Afinal, qualquer um na posição de gestão já experimentou o fato de oferecer uma diretriz de trabalho e obter de volta algo bem diferente do pretendido. Exemplos como cumprimento de prazos, acompanhamento de solicitações, atualizações de status e engajamento em tarefas, projetos ou grupos de trabalho, muitas vezes, são motivos de frustração entre gestor e colaborador.

Através de sua pesquisa, Fournies analisou e catalogou os motivos que levam a esse tipo de frustração. Este trabalho resultou na publicação de um livro em 2007 – Why Employees Don’t Do What They’re Supposed To and What You Can Do About It, que já possui versão em português.

Segundo Fournies, as principais razões que levam os trabalhadores a não executarem o que se espera deles são as seguintes. Aproveitei e tomei a liberdade de propor ações que possam endereçar uma melhoria em cada caso:

Acredito que uma boa prática seja revisar, periodicamente e através de um diálogo franco e aberto, como andam desempenho, satisfação, motivações, interesses e planos de futuro de cada parte – organização e indivíduo. Entendo que ambos precisem reafirmar os seus sentidos de propósito para continuarem tendo uma relação saudável e produtiva.

Roberto Andrade trabalha na indústria de TI (Tecnologia da Informação) desde 1984, acumulando experiência em liderança de equipes de alto desempenho, gestão de vendas, gestão de prestação de serviços, gerenciamento de ativos de software (SAM) e de gestão de processos de negócios.

Contratado ou reprovado, todo candidato quer ter um retorno da empresa

Interview-FeedbackParticipar de um processo seletivo para uma vaga de emprego pode ser algo muito desgastante emocionalmente.
 
Muitas vezes, o processo tem várias etapas e, é claro, é normal que os candidatos esperem por uma resposta da empresa em cada uma dessas etapas.
 
Quem algum dia na vida já procurou emprego sabe que, pior do que ouvir um “não”, é não receber nenhum retorno da empresa.

O candidato se sente desrespeitado, desmotivado, injustiçado, enfim, um turbilhão de sentimentos ruins passa em sua cabeça.

Como consequência, a credibilidade da empresa fica profundamente abalada.

Por essa razão, os profissionais que atuam na área de recrutamento e seleção se desdobram para sempre dar algum retorno para os candidatos, mesmo que este retorno seja negativo.

Porém, quando esses profissionais se deparam com um grande volume de candidatos, fica muito difícil conseguir dar um retorno a todos eles, a não ser que se tenha uma boa ferramenta que os ajude.

Com a ferramenta correta auxiliando o trabalho, pode-se sempre dar um retorno rápido a todos os candidatos, seja positivo ou negativo e, mesmo que o retorno seja negativo, o candidato compreende a situação e se sente valorizado por ter recebido uma rápida resposta e, assim, pode seguir em frente na busca de uma vaga dentro do seu perfil.

É esse impacto positivo que todos os profissionais de RH querem provocar em todos os candidatos que participam de processos de recrutamento e seleção.

É uma demonstração de respeito por quem preparou o currículo com carinho, enviou fisicamente ou se cadastrou no site, foi até o local ou site indicado e participou de testes, fez entrevistas, etc.

O retorno vem em credibilidade tanto dos profissionais quanto das empresas que realizaram o processo seletivo, independentemente do candidato ter sido escolhido ou não.

Augusto Calado Costa é ex-CEO da Manpower (www.manpower.com.br) e entusiasta de RH e Startup Companies.

De repente, uma fila de 10 mil pessoas na frente da empresa atrás de uma vaga de emprego. E agora, o que fazer?

dsc_5477Sem os devidos cuidados, essa situação pode facilmente se repetir, principalmente agora, gerando uma experiência negativa para os candidatos e empresa.
 
Por conta dessa crise que assola o Brasil, está surgindo um novo fenômeno social: muita gente em busca de emprego, não apenas os desempregados como também os seus familiares, cônjuges e filhos, que antes não estavam em busca de emprego.
 
Esse contingente está sempre se candidatado a vagas de emprego, em especial as consideradas atrativas, ou seja, em grandes grupos empresariais, principalmente em empresas de marcas muito famosas, podendo gerar grandes tumultos nos locais de recrutamento e um enorme volume de trabalho para as equipes de seleção de pessoal.

Veja aqui dois casos recentes:

  • Anúncio de vaga de emprego atrai mais de 10 mil pessoas: http://goo.gl/vT13TJ
  • Fila de emprego (para 200 vagas numa construtora) com mais de 3 mil pessoas termina em confusão na zona norte do Rio de Janeiro: http://goo.gl/SAe6hr

Desnecessário citar casos de concursos públicos no Brasil e em outros países, como esse caso emblemático na Índia (http://goo.gl/FetSEj) que atraiu nada menos que 2,3 milhões de pessoas.

Em verdade, segundo levantamento feito pela Fipe, o número de vagas de emprego abertas no Brasil caiu 14,1% em junho de 2015, em relação a junho de 2014. Ou seja, menos ofertas de emprego para um contingente ainda maior de desempregados.

Mas há uma saída e ela sempre passa por um bom planejamento e pela ajuda de especialistas em recrutamento e seleção em grande volume que já tenham efetivamente participado de processos semelhantes.

Além disso, temos que contar com ferramentas de tecnologia que, além de serem comprovados instrumentos de avaliação:

  • Filtrem, logo no início do processo, todos os candidatos fora do perfil, fazendo com que seu processo de seleção seja concentrado nos candidatos certos;
  • Não apenas reduzam o trabalho da equipe de recrutamento e seleção e que, em consequência, se possa realizar o mesmo trabalho com uma equipe menor de profissionais, como também
  • Impactem positivamente todos os candidatos ao longo do processo de recrutamento e seleção.

Tomando esses cuidados, evita-se tumulto na porta da empresa e, mesmo tendo a presença no processo de um enorme número de candidatos menos adequados, ainda assim é possível encontrar os melhores talentos e entregar processos de seleção com um melhor custo-benefício.

Augusto Calado Costa é ex-CEO da Manpower (www.manpower.com.br).

Empresa de recrutamento revela perfis de líderes mais cobiçados

Profissionais resilientes e capazes de gerar resultados são valorizados.

Capacidade de ousar sem perder o foco no negócio também pesa a favor.
 
Em meio a um cenário de incertezas na economia e mais competição no mercado de trabalho, as empresas estão optando por profissionais com habilidades técnicas e comportamento mais estável, capazes de agregar valor aos negócios, para ocupar cargos de liderança, segundo a Wyser, empresa especializada em recrutamento e seleção de executivos para média e alta gerência da multinacional italiana de recursos humanos Gi Group.

Para Fábio Nogueira, diretor da Wyser, as corporações enfrentam constantes desafios impostos pelo mercado que exigem resultados rápidos. “Esse cenário dinâmico requer lideranças que consigam se adaptar à realidade e à cultura empresarial, e com atitudes que integrem colaboradores e equipes multidisciplinares, gerando eficiência e rentabilidade”, afirma.

Veja abaixo as características mais valorizadas pelas corporações na hora de escolher seus gestores, segundo a Wyser:

Liderança
Facilidade de trabalhar em grupo e que saiba liderar pelo exemplo. Além disso, liderança com capacidade de realização, que possa agregar valor de forma rápida à empresa.

Resiliência
As empresas têm avaliado a capacidade do profissional de superar as pressões do dia a dia ou um momento difícil, tomar as decisões coerentes, sem se deixar levar por ansiedade, impulso e frustrações.

Autodesenvolvimento
Hoje o mercado valoriza profissionais que vão além do conhecimento acadêmico e investem constantemente no aperfeiçoamento técnico e de outras habilidades.

Proatividade
Aquele que consegue enxergar as oportunidades além dos fatos e informações presentes, relaciona as tendências do mercado e trabalha de forma prática e objetiva para atingir os resultados.

Criativo com pé no chão
Capaz de se reinventar, ousar e pensar diferente sem perder foco no negócio e ao mesmo tempo de colocar em prática suas ideias para atingir seus objetivos.

Especialistas
Executivos com alto conhecimento técnico ou que são referência em suas áreas são bastante cotados no mundo corporativo, especialmente em companhias de tecnologia, engenharia e finanças. São profissionais que conseguem identificar e solucionar problemas com grande nível de complexidade.

http://g1.globo.com/concursos-e-emprego/noticia/2015/10/empresa-de-recrutamento-revela-perfis-de-lideres-mais-cobicados.html?utm_source=twitter&utm_medium=social&utm_campaign=g1

O que pode tornar você um profissional dispensável durante a crise?

O ambiente profissional está cada vez mais competitivo. O cenário instável não permite ensaios, por isso, as empresas buscam comprometimento de seus colaboradores para que possam superar este momento economicamente difícil. É preciso ter cautela com as algumas atitudes e comportamentos, pois, mesmo sendo realizados inconscientemente, podem sinalizar desinteresse e comprometer o emprego.

Listei cinco condutas que devem ser evitadas no trabalho lembrando que este é o momento de se destacar e não de se tornar um profissional dispensável.

Sair da sala toda hora para usar celular

A não ser por conta de ocasiões especiais, como um problema familiar que deve ser resolvido naquele dia, deixar sua sala várias vezes para falar ao telefone celular irá gerar uma impressão negativa. Geralmente, as pessoas relacionam essa atitude ao fato de se estar procurando uma nova oportunidade de emprego, por exemplo. A mesma dica vale para quem gosta de trocar mensagens pelo celular. Evite os excessos.

Não responder e-mails

Por mais desnecessário que pareça, sempre responda às mensagens enviadas ao seu e-mail profissional. Não se manifestar irá fazer com que as pessoas o vejam como alguém sem comprometimento ou até irresponsável. Essa recomendação é válida especialmente para os e-mails de seus superiores e clientes.

Falta de organização

O mundo dos negócios é feito de prazos e, por isso, não ter um bom planejamento irá contribuir de forma negativa para a formação da sua imagem. Procure um método que combine com o seu estilo de ser, como agendas e smartphones, e crie uma rotina de atualização dos status de seus compromissos. Cumprir a palavra quando se fala em datas importantes é um ótimo atributo para a sua carreira.

Pedir desculpas por tudo

Muitas vezes, pedir desculpas é visto como um argumento para justificar algo que não deu certo. Ao invés disso, tenha uma atitude pró-ativa e, ao apresentar um resultado negativo, já demonstre também a solução para reverter o cenário. Dessa forma, as pessoas vão entender que você está comprometido com o sucesso das suas atividades, mesmo que, às vezes, as coisas saiam do programado.

Reclamar o tempo todo

Cuidado para não se transformar em uma pessoa amarga e que reclama o tempo todo. Geralmente, os colegas de trabalho estão abertos para nossos problemas quando eles aparecem esporadicamente. Quem sempre está com um humor ruim acaba criando um sentimento natural de afastamento.

http://www.dicasprofissionais.com.br/o-que-pode-tornar-voce-um-profissional-dispensavel-durante-a-crise/

Mensagem de Motivação para Colaboradores e Funcionários – As cinco bolas

A mensagem de motivação para funcionários e colaboradores  intitulada as cinco bolas traz alguns trechos da palestra do ex-presidente da Coca-Cola Brian Dyson, algumas palavras para motivar colaboradores baseadas nas experiencias de um dos maiores CEO de todos os tempos.

Essa mensagem de motivação para colaboradores fala sobre a relação entre o trabalho e os compromissos do dia-a-dia não pertinentem ao ambiente corporativo. Aprender a separar a vida pessoal da vida profissional muitas vezes traz vantagens e outras desvantagens. Primeiramente um colaboradorer, seja um trabalhador da linha de produção ou um chefe ou líder de grupo deve deixar fora da empresa seus problemas pessoais e se dedicar as questões pertinentes ao trabalho e as metas da empresa. Essa é uma mensagem de motivação que pode ser baixada e distribuída para todos os funcionários e colaboradores de sua empresa, também pode ser passada em uma reunião ou dinâmica de grupo em equipe e em eventuais treinamentos como complemento.

Motivação para Funcionários e Colaboradores – As Cinco Bolas

Seguem alguns trechos da palestra de Brian Dyson, ex-presidente da Coca-cola, que aconteceu em conferência numa Universidade Americana, onde ele falou sobre a relação entre o trabalho e outros compromissos da vida.
 
Imaginem a vida como um jogo, no qual vocês fazem malabarismo com cinco bolas que lançam ao ar.
 
Essas bolas são: o trabalho, a família, a saúde, os amigos e o espírito.
 
Trabalho; Família; Saúde; Amigos; Espírito
 
O trabalho é uma bola de borracha. Se cair, bate no chão e pula para cima.
 
Mas as quatro outras são de vidro. Se caírem no chão, quebrarão e ficarão permanentemente danificadas.

Não diminuam seu próprio valor, comparando-se com outras pessoas. Somos todos diferentes. Cada um de nós é um ser especial.
 
Como? Entendam isso e busquem o equilíbrio na vida.
 
Não fixem seus objetivos com base no que os outros acham importante. Só vocês estão em condições de escolher o que é melhor para vocês próprios.
 
Dêem valor e respeitem as coisas mais queridas aos seus corações. Apeguem-se a elas como a própria vida.
 
Sem elas a vida carece de sentido.

Não deixem que a vida escorra entre os dedos por viverem no passado ou no futuro. Se viverem um dia de cada vez, viverão todos os dias de suas vidas.

Não desistam quando ainda são capazes de um esforço a mais.

Nada termina até o momento em que se deixa de tentar.

Não temam admitir que não são perfeitos.

Não temam enfrentar riscos.

É correndo riscos que aprendemos a ser valentes.

Não excluam o amor de suas vidas dizendo que não se pode encontrá-lo.

A melhor forma de receber amor é dá-lo.

A forma mais rápida de ficar sem amor é se apegar a si próprio.

A melhor forma de manter o amor é dar-lhe asas.

Não corram tanto pela vida a ponto de esquecerem onde estiveram e para onde vão.

Não tenham medo de aprender. O conhecimento é leve. É um tesouro que se carrega facilmente.

Não usem imprudentemente o tempo ou as palavras. Não se podem recuperar. A vida não é uma corrida, mas sim uma viagem que deve ser desfrutada a cada passo.

Lembrem-se: Ontem é historia. Amanhã é mistério e Hoje é uma dádiva. Por isso se chama presente*.

“Apeguem-se as coisas que são queridas ao seu coração (entre elas a família e os amigos) sem elas a vida carece de sentido”.

Como está sua vida?

Como você tem cuidado de suas 5 bolas?

O que falta para sua vida ser mais equilibrada?

O que vai fazer para ser mais feliz?

Qual o primeiro passo?

Sugestão para Treinamentos de Grupos e Equipes de colaboradores: Esse texto pode ser copiado e distribuído para colaboradores da empresa e eventualmente, em um treinamento ou dinâmica de grupo pode ser lido e colocado para reflexão a fim de discutir a importância da motivação no ambiente de trabalho e no desempenho de colaboradores. Como sugestão indicamos Dinâmicas de Grupo de Motivação para complementar as atividades.

http://www.esoterikha.com/coaching-pnl/mensagem-de-motivacao-para-colaboradores-e-funcionarios-as-cinco-bolas.php