QUAL O SEU SEGREDO DE SUCESSO?

segredo-do-sucesso21Num ambiente cada vez mais conturbado, em meio a tantas incertezas, dúvidas e a falta de um norte, o que fazer para se destacar perante a multidão e alcançar o que muitos não conseguem? Muitas respostas podem surgir, como: Perseverança, Determinação, Planejamento, Foco e Empreendedorismo. Se pensarmos num ambiente macro, todas as respostas estão corretas, mas em meu entendimento uma palavra que resume tudo isto chama-se VENDA. Aí muitos podem me perguntar, o que a palavra venda tem a ver com isso? Sou enfático em afirmar TUDO! O primeiro passo para alcançar o que você procura, é você vender para si próprio e ser capaz de comprar de você mesmo o que vende. A partir desse momento, você já está preparado para vender aos outros, como o seu filho que precisa comprar de você o seu exemplo, como a sua esposa que precisa comprar de você a sua ideia, como os seus familiares e amigos que precisam comprar de você o seu entusiasmo e a empresa que você trabalha e a sua equipe que precisam comprar de você a sua liderança. E para finalizar, o mercado e seus clientes que precisam comprar de você uma solução. Mas sem esquecer que você será apenas o instrumento e não o Salvador da Pátria.

Há todo momento negociamos ou vendemos algo. Com isso o vendedor de uma empresa é o propulsor básico de um negócio. É o elo entre a empresa e o cliente. Para se concretizar uma venda com sucesso os vendedores precisam de estratégias para uma abordagem aos clientes certos, no momento certo e da maneira certa. A responsabilidade do negócio é de todos, mas o resultado só acontece com a soma das diferenças, que deverá ser direcionada e canalizada através da Gestão da Equipe, onde o Gestor tem como responsabilidade liderar a equipe pelo exemplo e pela persuasão, os capacitando para atingir os resultados propostos. Sua missão é ser uma fonte de inspiração e procurar motivar de todas as maneiras a equipe. Uma equipe entrosada e motivada com pleno conhecimento das necessidades do cliente e posicionamento de mercado representará êxito no atingimento dos resultados.

A melhor forma de buscar o êxito, é despertar as pessoas através de capacitação e treinamento, procurando conciliar suas vidas profissionais e pessoais, onde haja um equilíbrio em seus papeis, evitando desta forma um desequilíbrio capaz de comprometer suas vidas. O segredo é aplicar técnicas que contemplem o trabalho, mas sem abrir mão da família, dos amigos e do lazer. Onde o processo de venda acaba sendo consequência natural do dia a dia. Pois o êxito em vendas só é possível com um pensamento voltado para a autodeterminação, com metas bem traçadas, muita perseverança e continuidade. A boa liderança deve manter e elevar a motivação do grupo, treinar e se reunir com o grupo constantemente, superar expectativas e estabelecer metas.

Busque um diferencial para sua vida. Assuma o compromisso de mudar. Melhore a sua capacidade pessoal. Melhore o gerenciamento de sua vida, lembrando que a vida e o sucesso não se resumem apenas ao trabalho, mas a todo o ambiente em sua volta (família, amigos, lazer). E esteja preparado para as constantes mudanças que o ambiente e a vida nos proporcionam, a isto denominamos Resiliência.

O segredo começa com o primeiro passo, que é na administração de seu tempo. Algumas regras para a otimização do tempo são: atenção no que ouve ou faz, manter sempre a ordem, desprezar o inútil, pontualidade, usar ao máximo a agenda. Em seguida, um bom método de gerenciamento do tempo. Comece por um demonstrativo do tempo disponível, listagem das atividades por ordem de importância, faça cada coisa no seu tempo e pare enquanto houver tempo para correções.

As palavras chave para o seu sucesso são: Percepção – Conhecimento – Criatividade – Planejamento – Decisão – Ação – Tempo – Êxito. O ambiente externo (cliente, empresa que representa e concorrentes) é aquele que apresenta as maiores ameaças e riscos para o vendedor. Ele precisa neutralizá-las. O ambiente interno é composto pela própria essência do vendedor, sua vida pessoal. Mas sem esquecer que seu primeiro cliente está dentro de casa, e se ele não estiver satisfeito e totalmente envolvido com você na entrega, seu êxito ou fracasso dependerá diretamente disso para alcançar o resultado almejado.

Pensem nisso e até a próxima!

por José Renato Alverca (Blog MercadoRH http://mercadorh.blogspot.com.br/ e site http://rhdebates.com.br/)

Como as pessoas bem sucedidas definem suas metas e as perseguem

CaptureO anúncio típico ou “infomercial” concebido para ajudar as pessoas a “entrar em forma” fornece um ótimo exemplo do que não fazer na definição de metas.
 
A mensagem é quase sempre a mesma: “para uma quantidade ‘incrivelmente pequena’ de dinheiro, você pode comprar um produto ‘revolucionário’ que é ‘incrivelmente fácil e divertido de usar’. Este produto vai produzir ‘resultados surpreendentes’ em ‘quase nenhum tempo’ e você vai ‘ter o corpo que você sempre quis’.”

A maioria dos infomerciais implica que você não terá de continuar a exercer e dieta por anos, que você vai continuar parecendo jovem e que você fará sexo frequente e maravilhosamente para o resto de sua vida.

Na realidade, não há “resposta fácil”. A mudança real requer um esforço real. A “solução rápida” raramente é uma “correção significativa”.

Distrações e soluções concorrentes vão acontecer e as pessoas mais bem sucedidas, e aquelas que realmente querem ser grandes, entendem a situação.

Abaixo estão três das razões mais importantes pelas quais as pessoas abandonam suas metas, seguidas por uma breve descrição de como as pessoas de sucesso “fazem de forma diferente” e, em última análise, ficam bem posicionadas para atingirem seus objetivos.

1. Propriedade

Um dos maiores erros em todos os desenvolvimentos de liderança é a implantação de programas e iniciativas com a promessa de que “isso vai torná-lo melhor”.

Um exemplo clássico é o processo de avaliação de desempenho.

Muitas empresas mudam regularmente suas formas de avaliação de desempenho.

Quanto bem que isso costuma fazer?

Nenhum!

Essas mudanças nos formulários de avaliação apenas confundem as pessoas e são vistos como exercícios anuais de futilidade.

O que as empresas não querem enfrentar é o verdadeiro problema, e raramente é formulário: o verdadeiro problema são os gerentes que não têm nem a coragem nem a disciplina para fazer funcionar o processo de avaliação.

O problema com a abordagem “isso vai fazer você melhor” é que a ênfase é sobre o “presente” e não o “você”.

Em vez de se apoiarem no mais recente “programa”, pessoas bem sucedidas têm uma elevada necessidade, e até um dependência, pela auto-determinação.

Eles se comprometem com o desafio, com a tarefa ou com processo que precisam de seus esforços e fazem um plano para atingir suas metas.

Devido a este compromisso, eles são muito mais propensos a alcançar o sucesso.

2. Tempo

A maioria de nós têm uma tendência natural a subestimar o tempo necessário para atingir os objectivos.

Tudo parece levar mais tempo do que pensamos que deveria!

Quando o tempo decorrido em trabalhar em direção ao nosso objetivo começa a exceder as expectativas, somos tentados a desistir da meta, e muitas vezes desistimos.

Os bons estabelecedores de metas são mais sensíveis ao definirem prazos do que as pessoas em geral.

Eles são mais realistas sobre o tempo que eles vão levar para implementar e completar várias mudanças e ou tarefas.

Além disso, eles revêem suas metas com frequência e ajustam seus planos de progresso, conforme a necessidadde.

Assim, eles são mais propensos a satisfazerem as suas próprias expectativas de meta.

3. Dificuldade

O problema com a dificuldade é: “o desafio, o processo, ou a tarefa é muito mais difícil do que eu pensava que seria. Parecia tão simples quando eu estava apenas começando!”

No estabelecimento de metas é importante se dar conta de que a verdadeira mudança requererá trabalho real.

Expectativas do tipo “isso vai ser fácil” e “isso não vai ser nenhum problema para mim” pode, a longo prazo, se tornar um tiro que vai sair pela culatra quando nos dermos conta de que a mudança não é fácil e que, invariavelmente, nós enfrentaremos alguns problemas em nossa jornada rumo à mudança.

As pessoas bem sucedidas entendem que sempre haverá um preço a ser pago para se atingir o sucesso e elas terão que trabalhar duro para alcançar seus objetivos.

Esta perspectiva realista evita a decepção que pode ocorrer quando os desafios realmente surgem mais tarde no processo de mudança e, como resultado, elas são menos propensos a desistir.

Essas três mensagens podem parecer “duras”, mas elas são reais.

As pessoas de sucesso não têm medo de metas desafiadoras.

Na verdade, metas claras e específicas que produzem uma grande quantidade de desafio, tendem a produzir os melhores resultados através dessas pessoas!

por Marshall Goldsmith em novembro de 2015

Por que os colaboradores não fazem tudo o que se espera deles?

Vamos partir do princípio de que todo profissional deseja ser protagonista de uma excelente realização no trabalho que desenvolve. Afinal, ninguém sai de casa com o firme propósito de ter um dia sem graça, desmotivador e estressante, para chegar de volta feliz porque não realizou nada de agradável no seu trabalho.
 
Se considerarmos essa premissa como válida, seria de se esperar que cada um de nós conseguíssemos chegar ao final de cada dia de trabalho com uma sensação alegre de ter exercido o melhor do nosso potencial, tendo contribuído solidamente para o êxito das nossas equipes e de nossas organizações.

Porque será que as coisas não funcionam dessa forma ideal? Fácil responder dizendo que a perfeição ainda não pertence ao rol das construções humanas, como processos e sistemas; Da mesma maneira que somos seres complexos e multifacetados, de tal forma que, muitas vezes, nem mesmo nós sabemos decifrar nossos objetivos e vontades.

Se seguirmos a discussão nessa linha, não chegaremos muito longe, pois sempre teremos como justificar o que ainda não é perfeito. Ao invés disso, vamos tentar sistematizar um pouco o pensamento sobre as organizações e buscar um pouco de luz na experiência.

Ao longo de mais de 20 anos de profissão, Ferdinand Fournies – renomado consultor internacional – entrevistou cerca de 25.000 gerentes, buscando entender porque os resultados entregues nem sempre correspondem ao que foi solicitado.

Afinal, qualquer um na posição de gestão já experimentou o fato de oferecer uma diretriz de trabalho e obter de volta algo bem diferente do pretendido. Exemplos como cumprimento de prazos, acompanhamento de solicitações, atualizações de status e engajamento em tarefas, projetos ou grupos de trabalho, muitas vezes, são motivos de frustração entre gestor e colaborador.

Através de sua pesquisa, Fournies analisou e catalogou os motivos que levam a esse tipo de frustração. Este trabalho resultou na publicação de um livro em 2007 – Why Employees Don’t Do What They’re Supposed To and What You Can Do About It, que já possui versão em português.

Segundo Fournies, as principais razões que levam os trabalhadores a não executarem o que se espera deles são as seguintes. Aproveitei e tomei a liberdade de propor ações que possam endereçar uma melhoria em cada caso:

Acredito que uma boa prática seja revisar, periodicamente e através de um diálogo franco e aberto, como andam desempenho, satisfação, motivações, interesses e planos de futuro de cada parte – organização e indivíduo. Entendo que ambos precisem reafirmar os seus sentidos de propósito para continuarem tendo uma relação saudável e produtiva.

Roberto Andrade trabalha na indústria de TI (Tecnologia da Informação) desde 1984, acumulando experiência em liderança de equipes de alto desempenho, gestão de vendas, gestão de prestação de serviços, gerenciamento de ativos de software (SAM) e de gestão de processos de negócios.

Mensagem de Motivação para Colaboradores e Funcionários – As cinco bolas

A mensagem de motivação para funcionários e colaboradores  intitulada as cinco bolas traz alguns trechos da palestra do ex-presidente da Coca-Cola Brian Dyson, algumas palavras para motivar colaboradores baseadas nas experiencias de um dos maiores CEO de todos os tempos.

Essa mensagem de motivação para colaboradores fala sobre a relação entre o trabalho e os compromissos do dia-a-dia não pertinentem ao ambiente corporativo. Aprender a separar a vida pessoal da vida profissional muitas vezes traz vantagens e outras desvantagens. Primeiramente um colaboradorer, seja um trabalhador da linha de produção ou um chefe ou líder de grupo deve deixar fora da empresa seus problemas pessoais e se dedicar as questões pertinentes ao trabalho e as metas da empresa. Essa é uma mensagem de motivação que pode ser baixada e distribuída para todos os funcionários e colaboradores de sua empresa, também pode ser passada em uma reunião ou dinâmica de grupo em equipe e em eventuais treinamentos como complemento.

Motivação para Funcionários e Colaboradores – As Cinco Bolas

Seguem alguns trechos da palestra de Brian Dyson, ex-presidente da Coca-cola, que aconteceu em conferência numa Universidade Americana, onde ele falou sobre a relação entre o trabalho e outros compromissos da vida.
 
Imaginem a vida como um jogo, no qual vocês fazem malabarismo com cinco bolas que lançam ao ar.
 
Essas bolas são: o trabalho, a família, a saúde, os amigos e o espírito.
 
Trabalho; Família; Saúde; Amigos; Espírito
 
O trabalho é uma bola de borracha. Se cair, bate no chão e pula para cima.
 
Mas as quatro outras são de vidro. Se caírem no chão, quebrarão e ficarão permanentemente danificadas.

Não diminuam seu próprio valor, comparando-se com outras pessoas. Somos todos diferentes. Cada um de nós é um ser especial.
 
Como? Entendam isso e busquem o equilíbrio na vida.
 
Não fixem seus objetivos com base no que os outros acham importante. Só vocês estão em condições de escolher o que é melhor para vocês próprios.
 
Dêem valor e respeitem as coisas mais queridas aos seus corações. Apeguem-se a elas como a própria vida.
 
Sem elas a vida carece de sentido.

Não deixem que a vida escorra entre os dedos por viverem no passado ou no futuro. Se viverem um dia de cada vez, viverão todos os dias de suas vidas.

Não desistam quando ainda são capazes de um esforço a mais.

Nada termina até o momento em que se deixa de tentar.

Não temam admitir que não são perfeitos.

Não temam enfrentar riscos.

É correndo riscos que aprendemos a ser valentes.

Não excluam o amor de suas vidas dizendo que não se pode encontrá-lo.

A melhor forma de receber amor é dá-lo.

A forma mais rápida de ficar sem amor é se apegar a si próprio.

A melhor forma de manter o amor é dar-lhe asas.

Não corram tanto pela vida a ponto de esquecerem onde estiveram e para onde vão.

Não tenham medo de aprender. O conhecimento é leve. É um tesouro que se carrega facilmente.

Não usem imprudentemente o tempo ou as palavras. Não se podem recuperar. A vida não é uma corrida, mas sim uma viagem que deve ser desfrutada a cada passo.

Lembrem-se: Ontem é historia. Amanhã é mistério e Hoje é uma dádiva. Por isso se chama presente*.

“Apeguem-se as coisas que são queridas ao seu coração (entre elas a família e os amigos) sem elas a vida carece de sentido”.

Como está sua vida?

Como você tem cuidado de suas 5 bolas?

O que falta para sua vida ser mais equilibrada?

O que vai fazer para ser mais feliz?

Qual o primeiro passo?

Sugestão para Treinamentos de Grupos e Equipes de colaboradores: Esse texto pode ser copiado e distribuído para colaboradores da empresa e eventualmente, em um treinamento ou dinâmica de grupo pode ser lido e colocado para reflexão a fim de discutir a importância da motivação no ambiente de trabalho e no desempenho de colaboradores. Como sugestão indicamos Dinâmicas de Grupo de Motivação para complementar as atividades.

http://www.esoterikha.com/coaching-pnl/mensagem-de-motivacao-para-colaboradores-e-funcionarios-as-cinco-bolas.php

COMO MOTIVAR MINHA EQUIPE DESMOTIVADA?

Sua equipe de trabalho está “capengando”? O clima está pesadérrimo? O “bicho tá pegando” e você está percebendo que isso está afetando os lucros e o atendimento aos clientes? É meu querido empreendedor, está na hora de agir antes que o barco afunde. Vamos as dicas?

 

 

 

SEJA CLARO E HUMILDE

O primeiro passo é ser claro com toda a equipe (não converse apenas com os líderes mas com toda a equipe). Apresente resultados (números se possível) e pergunte a eles o que está acontecendo? DICA DE ARREBENTAR: Se possível chame um por um da sua equipe e converse pessoalmente. Você empreendedor precisa ser muito acessível e humilde para que eles possam se abrir com você e lhe contar as coisas (lhe sugerirem e lhe ajudarem). Sinto em lhe dizer que, se você é carrancudo, egocêntrico e orgulhoso é neste momento que você vai colher todo o abacaxi sozinho (vai se ferrar, pois não vai conseguir ajuda alguma dos funcionários)

QUEBRE A ROTINA

Rotina f$%# tudo. Sim a rotina faz com que o ser humano vire uma máquina pré programada e em pouco tempo você terá robôs atendendo seres humanos. Terá maquinas que servem café ao invés de atendentes atenciosos. DICA DE ARREBENTAR: Quebre a rotina com a criatividade. Crie um mural de fotos, dê prêmios, traga presentes, escreva frases de incentivo, elogie, faça uma festa, mude o ambiente de trabalho, em suma, crie um clima diferente do costumeiro

RECOMPENSE O ESFORÇO

Muitas pessoas se desmotivam por saber que não vão receber nada em troca pelo seu esforço extra. Recomendo que você tenha um plano de carreira e bônus claros pelo desempenho. Você pode dar elogios, brindes, prêmios em dinheiro, participação nos lucros da empresa (isso é bom para motivar a equipe inteira), deixar bilhetinhos com cada colaborador, etc. O importante é recompensar o esforço extra (pois ninguém vai querer dar mais de si se não receber nada em troca)

ESTIMULE A INTERAÇÃO

A falta de comunicação gera desconfiança, a desconfiança gera panelinhas de grupos que se identificam e esses grupos criam uma desunião generalizada. Para quebrar o clima tenso estimule atividades interativas em grupo. DICAS DE ARREBENTAR: Que tal promover um teatro em grupo, um almoço onde cada grupo faça um prato (faça esse almoço na sua casa porque o clima será melhor), uma atividade radical em grupo (rafting, escalada, acampamento, etc.). Faça de tudo para que a equipe se comunique, troque interações, se conheça, pois isso retira o medo e melhorar o ambiente

CUIDE DAS NECESSIDADES HUMANAS

Siga a pirâmide de Maslow e supra a necessidade dos membros da sua equipe

DETONANDO TUDO

Para motivar uma equipe é preciso criatividade, comunicação, atenção e ação. O primeiro passo é ouvir, quebrar a rotina, estimular a equipe e mudar a situação. Mude e coloque energia em sua equipe.

Não se esqueça, atitudes iguais geram resultados iguais, atitudes diferentes geram resultados diferentes.

Compartilhe conosco o que você tem feito para motivas sua equipe. Iremos apreciar muito

Um forte abraço querido empreendedor

http://www.desconstruir.com/como-motivar-minha-equipe-desmotivada/

Como eu me reconstruí depois da minha primeira demissão

Outro dia eu publiquei aqui “O que eu aprendi com minha primeira demissão” e apesar de ter escrito um texto enorme, eu me foquei eu falar sobre aquele momento de minha vida.

Depois de um bom tempo deste ocorrido eu consegui enxergar a experiência de uma forma ainda mais ampla. Quando me afastei daquela situação e pude visualizá-la do alto de uma árvore eu entendi como tudo aquilo me fez umapessoa mais forte e melhor.

Assim que a demissão acontece, mesmo que você esteja desconfiando sobre ela ou que até deseje não estar mais naquele lugar, a depressão pode bater à sua porta. Essa sensação piora quando você nadou, nadou e morreu na praia, ou seja, quando você pensa que tentou ser ótimo funcionário e mesmo assim não foi reconhecido.

Mas hoje eu quero compartilhar algo com você. Por mais difícil que uma demissão pareça – principalmente em relação às questões financeiras e a sensação de derrota, é possível tornar-se uma pessoa mais forte ao passar por ela.

Nos meus primeiros dias de desempregada eu não conseguia acostumar que até que eu conseguisse outro emprego eu acordaria todos os dias sem uma missão diária.Eu não precisava acordar cedo, minhas calças e camisas já não eram mais usadas, a maquiagem que antes era diária agora estava esquecida na gaveta e eu tinha muito tempo de sobra. Lidar com esse excesso de tempo me desesperava!

Às vezes desejamos ter tempo sobrando, mas quando eu o tive pude perceber algumas coisas: não adianta tê-lo se todo mundo com quem eu poderia compartilhar está em horário comercial, trabalhando.

Também não me adiantava muito ter tempo sobrando se eu não podia sair gastando dinheiro com lazer, por exemplo. Dias e noites tornaram-se iguais, eu simplesmente não tinha divisões de compromissos e alternava meu dia entre olhar freneticamente o Facebook e a TV. Foi ai que eu descobri que os meus amigos também estavam trabalhando naquele horário e que não adiantava eu atualizar sem parar minhas redes sociais para desesperadamente ler algo, as pessoas não estavam conectadas para postar.

Comecei a me pegar fazendo bolos de todos os sabores, quase todos os dias. E passei a assistir programas vespertinos de fofoca. Comecei a observar a rotina dos vizinhos, sabia de cor da onde vinha o latido de cada cachorro da vizinhança. Naquela época eu perdi até mesmo a vontade de malhar. E quantas vezes eu pensei que o cansaço do trabalho é que às vezes me fazia ter preguiça de ir à academia.

A verdade é que minha auto-estima estava tão baixa, que nada disso me animava mais.

De fato, ter tempo demais não era nada bom. E isso também nos mostra o ritmo que nos sujeitamos viver e sobre como imaginamos que seja correto viver: sempre trabalhando muito.

Comecei a enviar currículos totalmente desacreditada de mim e com medo de viver de novo tudo que vivi. Se fui demitida, certamente eu era péssima pessoal e profissional e não ia conseguir emprego nunca mais. Então eu passei a esperar ligações o dia todo. E e-mails. Ficava frustrada quando as chamadas eram engano ou alguém querendo que eu trocasse a operadora da TV a cabo (eu já pensava quase em cancelar o serviço!).

Nesse período eu pude refletir sobre todas as vezes em que errei. Todas as vezes em que eu poderia ter feito algo diferente. Percebo que hoje, algum tempo depois da experiência da demissão eu sou praticamente outra pessoa.

É incrível como de um ano para o outro amadurecemos e não desejamos ter o corpo jovem de antes em troca da mente atual.

Nesse tempo eu também pude dar ainda mais valor às pequenas coisas. Não ter um salário pode fazê-lo refletir sobre detalhes que você sequer percebia antes. Comecei a economizar dinheiro e já não passava mais no mercado à toa. Passei a me comover ainda mais com os senhorzinhos nas filas do mercado comprando uma caixa de leite e um pacote de arroz e muitas vezes, mesmo sem poder esbanjar, eu paguei a compra deles. A minha situação era provisória, mas imagine o que passam as pessoas que vivem situação parecida ou miséria o tempo todo.

Livre e com tempo sobrando eu poderia pegar meu carro e ir passear por ai. Mas quem é que disse que eu estava a fim de torrar combustível sem saber quanto tempo duraria meu desemprego.

Sempre que assistia TV e ouvia sobre as estatísticas e o crescimento do desemprego eu lembrava que fazia parte daquilo. Eu era mais uma passando por essa situação.

Por várias vezes eu me peguei pensando o que eu ia fazer com tudo aquilo que estudei. Eu morria de medo de nunca mais conseguir emprego na área que gostaria, olhava para meus livros na estante, para meus certificados e para todos aqueles arquivos do computador que eu levei anos salvando pra usar algum dia. E se tudo isso nunca mais fosse usado.

Certo dia enviei meu currículo mais uma vez. E recebi retorno. Não conseguia caber dentro de mim de tanta felicidade. Fiz a entrevista, voltei pra casa torcendo e fazendo todas as promessas possíveis sobre aquela possibilidade e quase não dormi pensando no quanto eu queria aquela vaga. Passei pra segunda fase.

E então, finalmente, no final daquele dia mesmo me ligaram que eu havia passado. Junto com o emprego novo eu ganhei minha auto-estima de volta e a fé que eu havia perdido.

Eu confesso que nos meus primeiros dias imaginei que viveria exatamente igual tudo o que vivi. Mas a boa notícia é que constatei um ambiente novo. Foi muito ver ver que muitas vezes estamos tão presos a uma situação, sensação ou memória que somos incapazes de achar que pode existir algo diferente. Felizmente existe luz no fim do túnel. A demissão dói, assusta e eu escrevo esse texto pra tantas pessoas que estão passando por ela agora.

Se eu puder te dizer algo, direi o seguinte: essa dor e essa chateação vão passar. Esse momento vai lhe ensinar coisas que nenhuma outra situação ensinaria. Você não é ruim como está pensando que é. E tudo vai dar certo, vai sim!

Esse momento vai te mostrar que o valor do que já não valorizava mais. Vai descobrir quem eram seus amigos de verdade. E mesmo quando voltar a ganhar um salário como antes, não terá coragem de comprar algumas coisas que antes comprava sem nem perceber. A verdade é que ter vivido um momento de baixa auto-estima e incertezas, de vergonha de sua família e amigos inclusive, te mostra que às vezes reclamamos à toa.

Não desista! Tente de novo. Assim que um novo dia começar levanta-se, tome um café e volte a buscar um emprego, seja ele em uma empresa ou um negócio próprio. Pq não tentar algo que você faz bem e que pode ser oferecido como um serviço free-lance nesse momento.

Só não passe o dia deitado, triste e cabisbaixo por conta disso. Tenha certeza de que existem coisas muito piores e irreparáveis do que perder um emprego. Essa fase vai passar e você vai vencê-la tornando uma pessoa incrivelmente forte, madura e com a fé recuperada.

Um abraço,

Flavia

Fonte: https://www.linkedin.com/pulse/como-eu-me-reconstru%C3%AD-depois-da-minha-primeira-demiss%C3%A3o-gamonar?trk=hp-feed-article-title-like